Cadastros em programas de fidelidade seguem crescendo e chegam a 74,6 milhões

21 de Outubro de 2016

A Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (ABEMF) divulgou os indicadores de mercado referentes ao segundo trimestre de 2016 (2T16). A quantidade de cadastros em programas de fidelidade em cinco das empresas associadas (Dotz, Grupo LTM, Multiplus, Netpoints e Smiles) aumentou 17,5% nos últimos doze meses, alcançando 74,6 milhões no final do segundo trimestre.

A quantidade de pontos/milhas acumulados ficou em 39,7 bilhões, 1% menor que o registrado no 1T16. Os resgatados foram 33,1 bilhões de pontos/milhas, queda de 4,5% em relação ao trimestre anterior. A volatilidade do dólar é o principal fator que impacta diretamente no acúmulo e resgate de pontos/milhas. “Sentimos maior engajamento dos consumidores em utilizar os programas de fidelidade. O crescimento dos cadastros exemplifica isso, claramente, e demonstra mais popularidade por parte dos programas. A queda dos pontos emitidos e trocados, no entanto, é justificada pela alta do dólar, já que os pontos considerados neste trimestre são reflexo do que foi repassado pelos bancos com uma taxa cambial maior, mas, com o dólar retornando sua estabilidade, a expectativa é que esses indicadores voltem a aumentar”, ressalta Roberto Medeiros, Presidente da Associação.

Novos indicadores

A ABEMF também apresenta novos indicadores, que destacam detalhadamente as preferências dos consumidores no setor.  As passagens aéreas continuam sendo as preferidas pelos clientes ao trocar pontos/milhas por produtos e serviços, mas outros produtos têm ganhado espaço. No 2T16, 70,6% dos pontos/milhas foram trocados por bilhetes aéreos. Os outros 29,4% foram para resgatar, principalmente, itens que ajudem no orçamento.

Na faixa até R$ 50, o item mais procurado foi o vale presente. Entre R$ 50 e R$ 100, ficou em primeiro lugar o crédito para combustível. Na faixa acima de R$ 100, o pagamento de contas foi o serviço mais resgatado “Isso demonstra que os consumidores têm utilizado os pontos/milhas não somente para viajar, mas para complementar os gastos do dia a dia”, conclui Roberto Medeiros.

Outro dado que comprova o quanto o consumidor está vendo vantagem nos pontos/milhas, é o crescimento do acúmulo no varejo. Os associados da ABEMF, juntos, levantam que, apesar da maior parte do resgate estar direcionado ao aéreo, apenas 11,7% dos pontos/milhas acumulados são referentes à emissão de passagens. Os 88,3% restantes são acúmulos feitos no varejo e, principalmente, por meio do cartão de crédito, comprovando o valor que o consumidor vê em acumular por outras frentes para viajar mais.

Outros indicadores

Perfil dos inscritos em programas de fidelidade (2T16)

No grupo de participantes de programas de fidelização há um percentual de 50,2% de homens e 49,8% de mulheres. A classificação etária apontou que a maior parte dos clientes, 38,3%, tem entre 26 e 40 anos. Na sequência aparece a faixa de 41 a 60 anos, com 36,1% do total, os maiores de 60 anos, 14,2% e, por fim, os menores de 25, que são 11,5%.

 

Produtos mais resgatados (2T16)



Sobre ABEMF


A Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (ABEMF) nasceu em 2014 com o objetivo de debater questões institucionais e regulatórias do setor, representar os interesses de empresas e profissionais, além de fomentar ações para o fortalecimento e aperfeiçoamento contínuo do mercado brasileiro de fidelização.

Fazem parte da entidade seis das maiores companhias do segmento no país: Dotz, Grupo LTM, Multiplus, Netpoints, Smiles e TudoAzul*. Entre as atividades desenvolvidas pela ABEMF estão a divulgação de dados do setor, obtidos por meio de estudos e pesquisas, e a busca por incentivos que beneficiem o mercado e seus associados.

*O TudoAzul é o mais novo associado da ABEMF, mas ainda não tem os números contemplados nos indicadores da associação.

Copyright © 2015 Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização - ABEMF. Todos os direitos reservados.