HOJE EM DIA - Conectado a aplicativo, site transforma exercício físico em milhas e prêmios

01 de Fevereiro de 2016

Já imaginou pedalar para o trabalho, correr na praça ou simplesmente caminhar com o cachorro e ser recompensado com passagem aéreas, diárias de hotel e mais uma infinidade de prêmios? Pois o desejo virou realidade. Um serviço digital, que inclui sites e aplicativos, possibilita converter atividades esportivas em pontos que podem ser trocados por prêmios. Um tipo de serviço semelhante ao que é oferecido pelas operadoras de cartão de crédito. O mais legal é que é tudo de graça e a premiação, diretamente proporcional ao tamanho do esforço físico.

A novidade é o Mova Mais que, segundo o CEO da plataforma, Fernando Aquino, surgiu, como o próprio nome diz, para incentivar hábitos de vida mais saudáveis. O site é parceiro do Multiplus, que tem uma lista de mais de 500 mil opções de vantagens, incluindo as desejadas passagens aéreas e até diárias em hotéis.

“A ideia é estimular a prática frequente. Tanto é que vale mais exercitar-se todo dia, isto é, a frequência, do que fazer muita coisa de uma só vez”, explica Fernando. Para se ter uma ideia, cada dez pontos somados no sistema, que deve estar integrado a um dos três apps parceiros, equivalem a um no Multiplus – mesmo site usado no programa de vantagens da companhia aérea TAM. Lá é possível escolher, dentre um cardápio de opções, que incluem roupas, calçados e milhagem, as que são compatíveis com a pontuação acumulada.

Bônus doobrado

Estrear no serviço vale o dobro: 20 pontos. E mais 20, se houver regularidade de pelo menos 20 sessões sucessivas. Isso quer dizer que, nesse caso, a frequência é a mais importante do que a intensidade da atividade realizada. Por enquanto, as modalidades convertidas em pontos são as praticadas ao ar livre, como caminhada, corrida e andar de bicicleta.

Outros tipos de exercícios, como os de musculação, realizados em academia, ainda não são computados, já que o sistema utiliza sinal de GPS para contabilizar o esforço feito pelo usuário.

Popular

O sistema digital vem fazendo sucesso entre os brasileiros e contabilizava, até a última semana, mais de 165 mil usuários. Paulistas, cariocas e mineiros ocupam a primeira, a segunda e a terceira posições no ranking, respectivamente. O motivo é claro: além de somar distâncias, funcionalidade dos apps tradicionais, a plataforma recompensa o usuário. O benefício vem chamando a atenção de gente como o arquiteto Alexandre Nunes, de 33 anos, que utiliza algum tipo de serviço digital na hora de correr.

“O legal desses aplicativos é que a gente consegue saber quantos quilômetros fez naquele dia e cria um histórico particular. Eu, por exemplo, já tenho quase 1.200 quilômetros registrados nos três anos que uso o app. Mas um serviço que permite trocar por prêmios é muito melhor”, diz.

Virar corredor requer paciência, treino e dedicação

Quem se empolgou com a possibilidade de ficar “rico”correndo, não só pode, como deve, manter a animação. Agora, se o aspirante a corredor não tiver a menor familiaridade com o assunto, melhor mesmo é pisar no freio. O segredo é começar pela caminhada, passar pelo trote (marcha um pouco mais acelerada) e só depois, em cerca de um mês, partir para a corrida.

“Quatro semanas é o tempo médio que o corpo demora, se for treinado, para se adaptar, fortalecendo musculatura, articulações e tendões”, explica a educadora física Suzan Christie Mosca, professora de corrida da academia BodyTech, em Belo Horizonte. Segundo ela, para evitar lesões, é essencial que cada coisa seja feita em seu tempo.

Para perseguir o objetivo de ficar em forma e, de quebra, aproveitar a possibilidade de faturar uma centena de prêmios com a atividade física, a dica é ir com calma. Queridinha por dez entre dez pessoas que desejam se exercitar na rua, a corrida é bem-vinda, desde que praticada da forma correta e respeitando os limites individuais.

Primeiro a caminhada

As duas primeiras semanas de treinos, ensina a professora, devem ser dedicadas à caminhada e ao trote, que é a marcha levemente acelerada, capaz de gerar um pequeno desconforto se a pessoa tentar falar e andar ao mesmo tempo.

A ideia é adquirir resistência e preparar o corpo para os impactos mais severos da corrida. “Depois de mais ou menos uma ou duas semanas, a pessoa já pode partir para as corridas intervaladas, correndo um minuto e caminhando três, por exemplo”, ensina Suzan.

Descanso menor

Em 21 dias, já é possível reduzir o tempo de descanso entre um “tiro” (corrida em ritmo acelerado) e outro e investir em períodos mais longos e contínuos de corrida. “Nesse momento, não recomenda-se correr mais do que três vezes por semana”, alerta a professora. O excesso da atividade pode sobrecarregar o corpo e levar a lesões.

É importante também que o corredor amador não esqueça de fortalecer a musculatura com outras atividades, como a musculação. “Abdômen forte protege joelho, bumbum protege quadril e quadríceps protegem o joelho”, detalha a educadora física.

PONTO A PONTO

Como funciona o sistema:

1º CADASTRO: Preencha um cadastro no site da plataforma: movamais.com. É rápido e gratuito

2º MONITORAMENTO: Escolha um dos três aplicativos parceiros (Strava, RunKeeper ou MapyMyRun) para monitorar a rotina de exercícios

3º EXERCÍCIOS: Toda vez que for se exercitar, lembre-se de ligar o aplicativo. Por enquanto, apenas corrida, bike ou caminhada realizadas ao ar livre funcionam para a conversão de pontos

4º CONVERSÃO: Os apps recolhem os dados da atividade física e fazem o link com o Mova Mais, que faz a conversão dos pontos

5º PONTOS: Depois da conversão são gerados pontos, que podem ser trocados por produtos via Multiplus. O programa oferece milhares de opções de troca

Copyright © 2015 Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização - ABEMF. Todos os direitos reservados.